Contorno Corporal
PRÓTESE DE MAMA
Mastoplastia de Aumento

Também conhecida como Mastoplastia de Aumento, é um procedimento cirúrgico onde as próteses (implantes) de silicone são colocadas para melhorar a forma e aumentar o tamanho dos seios. Os implantes mamários são formados por um envoltório formado por várias membranas de silicone preenchido com gel de silicone de alta coesividade.

É um procedimento cada vez mais procurado. Os avanços tecnológicos na fabricação dos implantes mamários, bem como nas técnicas cirúrgicas para colocá-los, tornaram a Mastoplastia de Aumento um procedimento cirúrgico ainda mais seguro.

O aumento das mamas está indicado principalmente para pacientes com mamas pequenas e pouco desenvolvidas (hipomastia). Pacientes que sofreram perda de volume mamário após perda ponderal, gestações ou em decorrência do avançar da idade também podem ser beneficiadas com este procedimento. Busca-se, através dele, o aperfeiçoamento das proporções corporais, aumentando a confiança e a autoestima da mulher.

A opção por aumentar o volume dos seios deve ser muito pessoal. A decisão de cada mulher é única e deve ser baseada nas suas necessidades individuais, desejos e expectativas. A escolha da prótese ideal é feita analisando-se as relações entre o peso, a altura, volume mamário e características estruturais da parede torácica de cada paciente individualmente. O desejo da paciente também é importantíssimo e deve ser escutado. Cabe ao Cirurgião Plástico avaliar se o mesmo é tecnicamente possível e compatível com as limitações corporais de cada uma delas.

Para a escolha do implante desejado você não deve se basear apenas na comparação com pessoas conhecidas que já foram submetidas à esta cirurgia. Os parâmetros utilizados na avaliação são individuais como vimos acima. Dessa forma, selecionamos o implante ideal (para cada caso) respeitando as limitações estruturais de cada tipo físico. Assim, o bom resultado atingido será mantido por muito mais tempo.

Durante a consulta, iremos discutir as várias opções disponíveis:

  • Tipos, formatos e volumes dos implantes;
  • Vias de colocação dos implante (locais das cicatrizes);
  • Posição dos implantes (abaixo do tecido mamário ou abaixo do músculo peitoral).

Após as gestações e/ou perda ponderal importante, as mamas podem se tornar ptosadas (caídas) ou com aréolas muito lateralizadas, necessitando de uma cirurgia para suspensão e centralização das aréolas (Mastopexia). Essa cirurgia também pode ser associada à colocação dos implantes, para se alcançar uma melhor simetria e um resultado mais harmônico.

Tipos e formatos dos implantes

Atualmente, existe uma enorme variedade de implantes mamários de silicone. Os formatos podem variar entre: redondo, anatômico (gota), ou cônico. Além disso, as membranas que envolvem o gel de silicone também possuem características diferentes: lisas, texturizadas, microtexturizadas, ou com revestimento de poliuretano. Essa vasta gama de opções nos permite escolher com mais facilidade o implante mais adequado à aparência desejada e às expectativas de cada paciente.

Vias de colocação dos implante (locais das cicatrizes)

Os implantes de mama também podem ser colocados através de 3 rotas diferentes: axilas, aréolas e sulcos inframamários.

Implantes colocados através de incisões axilares não deixam cicatrizes na pele da mama. Usando este tipo de incisão, a colocação dos implantes é tecnicamente mais difícil e impede a colocação de implantes de silicone mais volumosos. As cicatrizes são discretas, mas podem ser visíveis ao elevar o braço quando se estiver vestindo roupas sem mangas.

Incisões peri-areolares ou areolares permitem que a cicatriz seja escondida na junção da pele mais escura da aréola e a pele mais clara da mama. Algumas vezes é necessária a abertura da glândula mamária para posicionar o implante corretamente.

As incisões nos sulcos inframamários também costumam resultar em cicatrizes bem discretas e que podem ser facilmente cobertas com sutiãs e biquínis. A cirurgia é tecnicamente mais simples, permitindo a colocação de implantes maiores.

Posição dos implantes

Os implantes mamários podem ser posicionados: abaixo do tecido mamário (subglandular) ou abaixo do músculo peitoral (submuscular).

Quando os implantes são colocados abaixo de seu tecido mamário, os resultados são mais naturais e sua recuperação é muito mais rápida. As pacientes devem ter para uma boa cobertura dos implantes.

Os implantes também podem ser colocados debaixo do músculo peitoral maior. Nesta técnica, tanto o tecido mamário quanto o músculo fazem a cobertura dos implantes. É ideal para pacientes que têm seios muito pequenos, sem a espessura necessária de tecidos mamário e adiposo para envolver os implantes.

Perguntas Frequentes

Quais são os exames pré-operatórios necessários?

Durante a consulta serão solicitados exames de sangue, ultrassonografia de mamas, mamografia, radiografia de tórax e eletrocardiograma.

Quanto tempo dura esta cirurgia?

Esta é uma cirugia que dura em média 2 horas.

Quais são os tipos de anestesia utilizados?

A anestesia pode ser peridural ou geral.

Permanecerei internada por quanto tempo após a cirurgia?

O período de internação pode variar entre 12-24 horas a depender de cada caso.

Qual será o tamanho das cicatrizes?

Quando as próteses são colocadas através das aréolas, as cicatrizes podem ser infra-areolares (metade inferior da circunferência das aréolas) ou periareolares (toda a circunferência areolar). Utilizando as vias do sulco inframamário ou axilar, as cicatrizes serão ligeiramente curvas nestes locais medindo entre 4-5 cm.

O pós-operatório é doloroso?

Geralmente não. Entretanto, sabemos que a dor é um sintoma subjetivo, e portanto pode ser vivenciada de maneira diferente por cada paciente. A colocação dos implantes abaixo dos músculos peitorais (submusculares) pode gerar um maior incômodo, porém controlável com os analgésicos prescritos.

Após quanto tempo retornarei ao trabalho e a fazer exercícios?

Na maioria dos casos, o retorno ao trabalho ocorre entre 10-15 dias após a cirurgia. Já a prática de atividades físicas deve ser adiada por 30 dias e iniciada de maneira gradual.

As próteses podem ser rompidas se sofrerem trauma?

Isso é possível nos traumas de grande intensidade, com grande transferência de energia, em que os órgãos vitais também podem ser comprometidos.
Durante a fabricação, as próteses são testadas laboratorialmente contra traumas mais agressivos do que aqueles esperados para o dia-dia, sendo liberadas para uso caso não apresentem alterações. Além disso, os implantes mais atuais contam com um revestimento mais espesso e são preenchidas por gel de silicone de alta coesividade que não permite o vazamento em caso de ruptura.
Todos esses recursos ajudaram a modernizar e a tornar este procedimento mais seguro.

É verdade que as próteses devem ser trocadas a cada 10 anos?

Com a evolução sofrida nos últimos anos, as próteses se tornaram mais duráveis e seguras. E apesar de possuírem uma durabilidade maior, ainda não há um consenso sobre o “prazo de validade”. Nós (Cirurgiões Plásticos) recomendamos acompanhamento periódico e realização de exames (como Mamografia Digital e Ressonância Magnética) após a cirurgia. Caso tudo se mantenha normal, é possível passar mais de 10 anos com as próteses.

Quais complicações podem acontecer?

Desde que preparemos adequadamente cada paciente, as complicações para essa cirurgia são pouco frequentes. Mesmo assim, são passíveis de ocorrer: deiscências de sutura (abertura precoce dos pontos), seroma (acúmulo de fluido claro), hematoma (acúmulo de sangue), infecção, alterações da sensibilidade (temporária na maioria das vezes), contratura capsular, cicatrizes hipertróficas/quelóides.

Existe uma idade mínima para se submeter a esta cirurgia?

Recomenda-se que este procedimento seja realizado a partir dos 18 anos em seios mais desenvolvidos. A indicação deste tipo de cirurgia em pacientes mais jovens é feita em casos de deformidades congênitas da mama e sob autorização dos responsáveis.

Todos os Procedimentos