Contorno Corporal
RECONSTRUÇÃO MAMÁRIA
Mastectomia

É uma cirurgia realizada para restauração após a retirada da mama (Mastectomia) por causa de um câncer ou por outras doenças mamárias menos freuqentes. A evolução das técnicas cirúrgicas e dos materiais utilizados nas mesmas tornou possível a confecção de uma nova mama com a aparência e o formato bem próximos ao natural. Para tanto as opções mais utilizadas são: os tecidos provenientes do abdome (Retalho TRAM) ou das costas (Retalho Grande Dorsal), os expansores teciduais e os implantes mamários de Silicone.

A reconstrução pode ser classificada como imediata ou tardia. Chamamos de imediata quando acontece logo após a Mastectomia. A paciente acordará ao final da cirurgia com o volume mamário já restaurado, sendo poupada da experiência de ver a si mesma sem a mama. Este é o método mais adotado quando possível, pois tem uma repercussão muito favorável na qualidade de vida da paciente, melhorando inclusive a adesão aos próximos tratamentos. A reconstrução é considerada tardia quando realizada meses após a retirada da mama.

Durante a sua consulta, decidiremos quais serão as melhores opções para o seu caso. A escolha do método a ser realizado deve ser baseada em alguns critérios técnicos importantes como: tamanho das mamas, se há quantidade suficiente de tecido nas áreas doadoras (abdome e costas), ou se será necessário o uso de expansores cutâneos ou próteses de silicone, se a aréola será poupada na mastectomia e, ainda, se serão necessários um ou mais procedimentos para se atingir o melhor resultado.

Expansores teciduais

O expansor é colocado sob a pele e músculos da parede torácica. Gradualmente, enche-se o expansor com soro fisiológico através de uma pequena válvula, também situada sob a pele, durante um período de semanas ou meses no consultório. Uma vez que o espaço desejado para a prótese é criado, uma segunda operação é executada, em que o expansor de tecido é removido e um implante mamário de silicone é inserido no local.

Atualmente, já existem expansores no mercado com uma fração de silicone de alta coesividade na sua composição (também conhecidos como próteses expansoras definitivas), não havendo a necessidade de trocá-los pelos implantes de silicone ao final da expansão.

Implantes Mamários de Silicone

Nem todas as pacientes necessitam de um expansor de tecido antes da inserção de um implante. Nestes casos, o implante é inserido logo após a Mastectomia. As reconstruções com implantes têm a vantagem de serem operações mais curtas e com menor tempo de internação.

Retalhos TRAM e Grande Dorsal

Na reconstrução autógena, o próprio tecido do paciente é utilizado para criar uma mama. Essas novas mamas possuem uma aparência mais natural, e se assemelham cada vez mais com uma mama normal ao longo do tempo.

O grande dorsal é um músculo em forma de leque situado nas costas, podendo ser deslocado para região mamária. A pele das costas também pode ser utilizada junto com o músculo se necessário. Cobrir um implante de silicone com o músculo grande dorsal é uma opção que evita o uso de expansores.

O retalho TRAM utiliza pele e gordura do abdômen inferior, deixando uma cicatriz semelhante a uma abdominoplastia. A maioria das pacientes têm o desejo de ter esse tecido removido. Ele possibilita a reconstrução mamária com o benefício adicional de um contorno abdominal melhorado. O volume de tecido transferido já suficiente para se moldar uma nova mama, não sendo necessário na maioria das vezes a colocação de implantes ou de expansores.

Além das técnicas utilizadas para restaurar o volume da mama descritas acima, a Reconstrução Mamária ainda envolve:

  • Cirurgias na outra mama para melhorar a simetria (redução, suspensão ou a colocação de um implante mamário de silicone);
  • A reconstrução do mamilo ( ou papila);
  • Pigmentação da aréola e mamilo (realizada por Tatuador profissional).

Perguntas Frequentes

Como são reconstruídos a aréola e o mamilo?

Na maioria das vezes, a aréola e o mamilo não são recriados na mesma cirurgia da reconstrução da mama. Aguardamos 4-6 meses para reconstruí-los, pois nesta ocasião a nova mama já adquiriu formato e posicionamento próximos aos definitivos.

A aréola pode ser reconstruída com enxertos de pele da raiz da coxa, grandes lábios ou ainda com parte da aréola da outra mama e/ou tatuagens. O mamilo (papila) é reconstruído com retalhos da pele no local ou com enxerto de parte do mamilo do outro lado.

Onde ficam localizadas as cicatrizes?

Quando a Reconstrução Mamária é realizada com Expansores ou Implantes de Silicone, a cicatriz resultante é a mesma deixada pelo Mastologista na Mastectomia.

Caso a Reconstrução seja realizada com Retalhos TRAM ou Grande Dorsal, a paciente terá duas cicatrizes: uma na região mamária proveniente da Mastectomia e a outra na área doadora dos retalhos. Nos Retalhos TRAM, a cicatriz é equivalente à de uma Abdominoplastia. Já quando se utiliza o Retalho Grande Dorsal, essa cicatriz se localiza nas costas, podendo ser coberta pelo sutiã.

As cicatrizes podem ficar mais visíveis?

As cicatrizes apresentam modificações ao longo do tempo e cada paciente comporta-se diferentemente do outro em relação à evolução das cicatrizes, podendo na maioria dos casos tornar-se muito pouco visíveis.

Certas pacientes podem apresentar tendência individual à cicatrização inestética, hipertrófica ou quelóide. Este fato deverá ser discutido durante a consulta inicial, bem como, suas características familiares. Se você souber previamente da sua tendência para quelóide, o tratamento especializado será instituído de 24 a 72 horas após a cirurgia, entre outros recursos. Pessoas de pele clara tendem a desenvolver este tipo de cicatrização menos frequentemente.

Existem riscos e complicações neste tipo de cirurgia?

Sim. Como em qualquer outro tipo de cirurgia podem acontecer: deiscências de sutura (abertura precoce dos pontos), seroma (acúmulo de fluido claro), hematoma (acúmulo de sangue), infecção, necrose parcial/total dos retalhos, cicatrizes hipertróficas/quelóides.

E algumas complicações específicas ao procedimento escolhido. Como por exemplo:

  • Vazamento dos expansores teciduais;
  • Deslocamento ou contratura capsular ao se optar por implantes de silicone;
  • Enfraquecimento da parede abdominal após Reconstrução com TRAM.
Já ouvi falar de algumas pessoas que retiraram as mamas para prevenir o Câncer de Mama. Será que também tenho que fazer isso?

Apesar de não ser consenso entre todos os médicos ainda, essa é uma conduta que representa uma tendência recente de se antecipar ao surgimento do Câncer de Mama nas mulheres consideradas em alto risco para o desenvolvimento do mesmo. São mulheres que possuem um histórico familiar importante de Câncer de Mama (mãe e/ou irmãs acometidas) associado a presença dos genes BRCA1 e BRCA2 (detectados laboratorialmente através da análise de uma pequena amostra de sangue).

O termo mais correto para este procedimento é Mastectomia Redutora de Risco (e não Profilática ou Preventiva), pois o risco é reduzido e não eliminado completamente. Nestes casos, utilizamos Implantes de Silicone ou Próteses Expansoras (Expansores definitivos) para restaurar o volume mamário retirado.

Informe-se com o seu Mastologista e ele lhe dirá se este procedimento é o mais adequado para o seu caso.

Todos os Procedimentos