Contorno Corporal
REDUÇÃO MAMÁRIA
Mastoplastia Redutora

A mama é formada por pele, tecido adiposo (gorduroso) e tecido glandular. Na cirurgia de redução mamária ou Mastoplastia Redutora, o excesso destes tecidos é removido, tornando-as menores e mais firmes. Este procedimento também pode reduzir o tamanho de suas aréolas e ajudar a restaurar a flacidez dos seios para dar-lhes uma aparência mais jovem.

Os seios volumosos e pendentes podem causar uma infinidade de problemas, motivando as mulheres à realizarem essa cirurgia. O peso dos seios provoca alterações posturais que levam a dores no pescoço e nas costas, além de puxar o sutiã para baixo, o que por sua vez produz depressões nos ombros. A fricção da pele mamária e acúmulo de suor na sua parte inferior podem causar dermatites frequentes. Algumas mulheres portadoras de seios superdesenvolvidos ainda podem ter dificuldade para respirar por causa do peso sobre o tórax quando deitadas.

Outras pacientes optam por realizarem a redução das mamas, a fim de satisfazer seu próprio desejo de um busto menor, ficando mais à vontade com o seu corpo, otimizando as suas proporções com seios menores. A redução de mama pode aumentar a autoestima de uma mulher e melhorar sua qualidade de vida.

Durante a consulta, você será perguntada sobre o tamanho da mama desejado e sobre os aspectos visuais das suas mamas. O tamanho e a forma, a qualidade de sua pele e a posição de seus mamilos e aréolas também serão avaliados. Essa etapa é importante para entender suas expectativas e determinar se as mesmas podem ser alcançadas com a cirurgia.

Os exames pré-operatórios incluem: sangue, urina, ultrassonografia mamária/mamografia, eletrocardiograma, radiografias do tórax.

As anestesias mais frequentemente utilizadas são: peridural ou geral.

A duração média da cirurgia é de 3 a 4 horas, com internação por 12 ou 24 horas a depender de cada caso. Ao final da cirurgia, haverá drenos (temporários) e curativo compressivo. A paciente terá alta usando sutiãs pós-operatórios, e manterá o uso dos mesmos por 60 dias. A movimentação do braço deverá ser um pouco mais limitada nos primeiros 30 dias.

Perguntas Frequentes

Como é realizada a Cirurgia de Redução Mamária?

A técnica a ser utilizada vai depender das características da sua própria mama e do resultado desejado. O tamanho final das cicatrizes varia de acordo com o grau de flacidez mamária. Mamas com pouca flacidez podem ter cicatrizes apenas circundando a aréola e uma vertical descendente (conhecida como “pirulito” ou “raquete”). Mamas com maior grau de flacidez terão cicatrizes horizontais nos sulcos inframamários somadas às periareolares e verticais (“L” ou “T” invertido).

O pós-operatório é doloroso?

Geralmente não. Entretanto, sabemos que a dor é um sintoma subjetivo, portanto pode ser vivenciada de maneira diferente por cada paciente. Por outro lado, o sintoma mais comum é a dormência nas mamas recém operadas. A sensibilidade retorna gradativamente à medida que o edema (inchaço) reduz e a cicatrização avança.

Podem ser colocadas próteses de silicone durante esta cirurgia?

Sim. Isso é possível em algumas pacientes, objetivando deixar as mamas mais firmes e projetadas após a redução.

Mudanças no peso podem alterar o resultado da cirurgia?

Sim. Ganhar muito peso no pós-operatório pode aumentar a camada de tecido adiposo (gorduroso), levando a um novo aumento da mama. Já o emagrecimento excessivo faz com que essa mesma camada se torne mais fina, provocando flacidez e ptose (queda). As alterações ponderais podem afetar diretamente o resultado desta cirurgia.

As cicatrizes podem ficar mais visíveis?

As cicatrizes apresentam modificações ao longo do tempo e cada paciente comporta-se diferentemente do outro em relação à evolução das cicatrizes, podendo na maioria dos casos tornar-se muito pouco visíveis.

Certas pacientes podem apresentar tendência individual à cicatrização inestética, hipertrófica ou quelóide. Este fato deverá ser discutido durante a consulta inicial, bem como, suas características familiares. Se você souber previamente da sua tendência para quelóide, o tratamento especializado será instituído de 24 a 72 horas após a cirurgia, entre outros recursos. Pessoas de pele clara tendem a desenvolver este tipo de cicatrização menos frequentemente.

Em caso de uma nova gravidez, o resultado pode ser prejudicado?

O seu ginecologista lhe dirá da conveniência ou não de nova gravidez. Quanto ao resultado, poderá ser preservado, desde que aquele especialista controle seu aumento de peso na nova gestação. Geralmente não há problema, em caso de nova gravidez. Quando se trata de mamas muito grandes, que foram reduzidas acentuadamente, a amamentação poderá ficar prejudicada. Em casos de pequenas e médias reduções a amamentação poderá ser preservada.

Existe uma idade mínima para se submeter a esta cirurgia?

Recomenda-se que este procedimento seja realizado a partir dos 18 anos em seios mais desenvolvidos. A indicação deste tipo de cirurgia em pacientes mais jovens é feita em casos extremos de mamas muito volumosas e sob autorização dos responsáveis.

Quais complicações podem acontecer?

Embora raras, as complicações passíveis de ocorrer compreendem: deiscências de sutura (abertura precoce dos pontos), seroma (acúmulo de fluido claro), hematoma (acúmulo de sangue), infecção, diminuição da sensibilidade (temporária na maioria das vezes), necrose das aréolas/mamilos, cicatrizes hipertróficas/quelóides.

Todos os Procedimentos